Fisioterapia no Desporto

A fisioterapia desportiva, ou reabilitação atlética engloba principalmente a restauração das estruturas músculo-esqueléticas traumatizada. A eficácia da fisioterapia no período de recuperação, tanto pré/pós uma cirurgia quanto pós um traumatismo, geralmente determina o grau e o sucesso da futura perfomance atlética. Além do mais, as lesões sofridas durante a competição são em geral, produzidas em circunstâncias inerentes ao desporto especifico: portanto, o atleta pode ficar exposto a um traumatismo recidivante idêntico, o que torna mais provável uma nova lesão. Esse potencial para sofrer uma nova lesão torna necessário um tratamento fisioterápico exaustivo e completo.

Em qualquer lesão, ocorrem eventos fisiológicos específicos em resposta ao traumatismo. Cabe ao fisioterapeuta reduzir a gravidade desses efeitos fisiológicos, otimizar o tempo de cicatrização e devolver o atleta à competição o mais cedo possível sem comprometer seu bem-estar.

Os objetivos de todo o programa de fisioterapia incluem:

  1.  Redução da dor;
  2.  Redução da resposta inflamatória ao traumatismo;
  3.  Retorno da amplitude activa de movimento plena e isenta de dor;
  4.  Redução do derrame;
  5.  Retorno de força, potência e endurance musculares plenas
  6.  Retorno às actividades funcionais assintomáticas plenas no nível pré-lesão
  7.  Reintegração no treino

 

O exercício precoce é essencial para a reabilitação.

Os atletas podem melhorar a sua condição física em cerca de 1% ao dia , enquanto perdem de 3% a 7% de sua aptidão diariamente quando permanecem totalmente inactivos.

Portanto, quanto mais longo o período de tempo durante o qual o atleta permanece inactivo, mais longo será o período necessário para completar o programa de reabilitação.

O uso apropriado do técnicas/exercício pode acelerar o processo de cicatrização, e a falta de exercício durante os estágios iniciais da reabilitação pode resultar em incapacidade permanente. Algumas limitações poderão ser necessárias para proteger um reparo cirúrgico ou permitir que ocorra a cicatrização adequada da lesão.

As condições ideais para a cicatrização dependem de um equilíbrio delicado entre a protecção contra o estresse e o retorno à função normal no período mais precoce possível.

Cada programa de fisioterapia deve ser individualizado; não existe um programa de reabilitação do tipo “livro de receitas culinárias” para todas as lesões e que possa ser adotado para todos os atletas.

Um programa de fisioterapia deve ser elaborado de forma a atender as necessidades do atleta, abordar as deficiências específicas e a levar em conta as demandas funcionais específicas de cada um.

Os objectivos gerais da fisioterapia já foram mencionados. Antes de iniciar um programa de reabilitação, o fisioterapeuta, o técnico e o atleta deverão elaborar um conjunto de objectivos a curto, médio e a longo prazo baseados na lesão do atleta ou no procedimento cirúrgico realizado e na necessidade da competição.

O uso de protocolos de reabilitação preestabelecidos como directrizes para a progressão do atleta através do programa de reabilitação pode ser valioso. Os protocolos deverão fundamentar-se em princípios derivados da pesquisa sobre o tempo de cicatrização e cinemática articular.

Os objectivos podem ser delineados em relação à amplitude de movimento, à sustentação do peso e à progressão dos pesos nos exercícios com resistência progressiva. Entretanto, os protocolos de reabilitação são apenas directrizes e os atletas toleram a dor diferentemente e cicatrizam com ritmos variáveis.

O avanço da reabilitação no atleta deverá basear-se na avaliação diária do fisioterapeuta quanto aos relatos subjectivos e achados objectivos. A progressão de uma fase para outra somente deverá ocorrer depois que o atleta alcançou os objectivos esboçados na fase actual.

Prevenção e Reabilitação de condições clínicas motivadas pela prática desportiva, tais como

  • Ø Lesões musculares
  • Ø Lesões tendinosas
  • Ø Lesões ligamentares  
  • Ø Como prevenir lesões através do aquecimento e alongamento

 

Reabilitação de condições do foro orto-traumatológico, tais como:

Lesões traumáticas dos membros inferiores, superiores e da coluna, fracturas, luxações, sub-luxações

Reabilitação pré e pós cirúrgia do foro ortopédico

Recuperação após a colocação de próteses da anca, joelho, entre outras...

Problemas relacionados com a coluna vertebral ( dores lombares, dorsais, cervicais - agudas ou crónicas  )

Lesões músculo-tendinosas  

Tendinites,tenossinovites, tendinopatias, contraturas, contusões musculares, entorses, raquialgias, ligamentoplastias, meniscetomias, luxações,estiramentos musculares ( micro- roturas ).